Sobre a autora do projeto Presença Árabe no Brasil

Pesquisadora formada em sociologia pela Universidade de Brasília, com mestrado e doutorado na área de cultura pela mesma instituição. Atualmente, atua como coordenadora cultural do Instituto de Cultura Árabe Brasileira em Brasília (Icab). Trabalhou como assessora de pesquisa/consultora da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), Centrais Elétricas do Norte do Brasil (Eletronorte), Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e Federação das Entidades Americano Árabes no Brasil (Fearab). Foi consultora de projeto do Ministério das Relações Exteriores para montagem da exposição fotográfica intitulada Amrik, que trata da presença árabe na América do Sul e que rodou o mundo desde 2005. Também foi curadora da exposição Fragmentos de Utopias (Museu Correios 2018), tendo levado a experiência deste projeto para o maior evento sobre Mundo Árabe da atualidade, o Wocmes 2018, realizado em Sevilha. Desde 2010 dedica-se à investigação sobre a presença árabe na cultura brasileira, pautando-se, para isso, em duas vias de influência: aquela chamada herança ibérica, marcada pela vinda de portugueses e espanhóis para a América e a chegada de imigrantes árabes, em sua maioria sírios e libaneses, no Brasil a partir da segunda metade do século XIX. Também é professora de dança flamenca, além de proprietária da Oficina Flamenca, escola de dança que desde 1998 dedica-se a promover e a difundir a cultura flamenca e da Andaluzia no DF. Há 9 anos administra o site e a página no Facebook Presença Árabe no Brasil, que atualmente conta com mais de 19 mil seguidores.